Publicado em Progamação, Python, Tecnologia

Python: Uma Brevíssima Introdução à Programação Orientada a Objetos (POO)

O Python conta com algumas estruturas que facilitam o trabalho com dados, um exemplo são as tuplas. Tuplas, são coleções de dados relacionados entre si:

vangogh = ('Vincent', 'pintor', 'holandês', 19, 'ruivo', 1)

Nessa tupla, a gente agrupou um conjunto arbitrário de dados relacionados ao famoso pintor holandês. A gente poderia formatar essa informação para ser apresentada na tela:

van_str = '{} foi um {} {} do século {}. \n' \
          + 'Era {} e tinha {} orelha só'.format(*vangogh)
print(van_str)
Vincent foi um pintor holandês do século 19.
Era ruivo e tinha 1 orelha só

Continuar lendo “Python: Uma Brevíssima Introdução à Programação Orientada a Objetos (POO)”

Anúncios
Publicado em Progamação, Python, Tecnologia

Python: Virtualenv, Virtualenvwrapper e PyGame

Já tinha publicado alguma coisa sobre Virtualenv num outro post, mas queria escrever uma guia com um exemplo prático, no caso, um projeto em Python 3.x e o módulo PyGame; gestionando tudo pelo Virtualenvwrapper. Continuar lendo “Python: Virtualenv, Virtualenvwrapper e PyGame”

Publicado em Progamação, Python, Tecnologia

Virtualenv: Isolando a Cobra (Python)

Trabalhando em vários projetos Python ao mesmo tempo? Conflito de dependencias e versões em porta… Normal, não desespera que isso tem solução. O Virtualenv cria um ambiente isolado virtual para cada projeto, com a sua própria versão do Python (2.7, 3.4, etc.) e dos módulos que o projeto precissa. Agora, em vez de ficar tudo junto e conflituando em /usr/lib/python2.7/dist-packages/ (se estamos usando Linux e a versão 2.x do Python), cada projeto vai conter uma pasta com a copia de cada pacote necessário, independente dos outros.
Continuar lendo “Virtualenv: Isolando a Cobra (Python)”

Publicado em Progamação, Python, Tecnologia

Python: A Boa Constritora de Códigos

Linguagens de programação não é o que falta nesse mundo. As vezes até parece que tem tantas linguagens quanto programadores, lembrando um pouco aquela história bíblica de Babel. Programadores, ainda que nem sempre isso seja evidente, somos seres humanos. E seres humanos gostam diferenciar-se uns dos outros, tipo: corinthianos e palmeirenses; argentinos e brasileiros; os que vão a misa aos sábados ou aos domingos; adoradores da churrasqueira e veganos; etc. Nesse nosso mundinho tem briga acirrada entre os caras do C++ e o Java; entre os que indentam e os que não; os que compilam e os que interpretam; os que botam curly braces (chaves) logo depois do while ou na linha que segue; tem até a torcida organizada do Vim e a do Emac. Você acredita? Continuar lendo “Python: A Boa Constritora de Códigos”