Publicado em GNU/LInux, Tecnologia, Terminal

Backups na linha de comandos do Linux I

File Not Found

Cópias de segurança precisam ser feitas. Todo mundo sabe por que. Quem já não deletou o arquivo ou a pasta errada e esvaziou a lixeira antes de perceber o erro? Quem não viu seu HD parar de funcionar de um instante pro outro? Quem simplesmente não sabe o que aconteceu com aquele documento que estava ai, e agora não está mais? Embora existam as ferramentas de recuperação, elas não são 100% garantidas nem tão fáceis de usar. “The desperate man” de Gustave-Courbet (o carinha puxando os cabelos na imagem) sabia. Que outra coisa poderia ter deixado ele nessa condição? Então, todo mundo sabe, mas poucos são os que fazem. E assim que vai o mundo… Continuar lendo “Backups na linha de comandos do Linux I”

Publicado em GNU/LInux, Open Source, Progamação, Tecnologia, Web

Instalando o XAMPP no Linux

Apache, MySQL (MariaDB) e PHP é um dos combo mais populares no mundo do desenvolvimento para Web. Trata-se de três tecnologias Open Source e multiplataforma, duas características que explicam em grande parte a sua popularidade. Praticamente todo servidor Web pelo mundo as suporta e grande parte dos sites existentes foi implementado acima delas. Para quem nunca tinha escutado falar delas, explicamos rapidamente: o Apache é o servidor HTTP; MySQL (MariaDB) é a linguagem para gestionar os bancos de dados relacionais; PHP é a linguagem de programação que opera do lado do servidor.

Quando estamos trabalhando em um projeto web temos sempre a opção de testar o resultado subindo o código para um servidor de produção. Mas esse enfoque pode resultar inconveniente a maioria das vezes. Uma outra possibilidade seria implementar um servidor local para testes no nosso computador. Esse servidor não ficaria conectado à Internet, evitando assim os riscos de segurança inerentes a um código ainda imaturo, a inconveniência de se fazer público um site ainda não funcional e provavelmente bugado, e poupando do tempo que o upload consome a cada vez que ele precisa ser feito. Continuar lendo “Instalando o XAMPP no Linux”

Publicado em Ferramentas, Progamação, Tecnologia, Web

Sites de Consulta para Desenvolvedores Web

Quem está começando -e quem já fez vários aniversários- no mundo do desenvolvimento para Web, ou a programação em geral, precisa de bons materiais de referência para consulta. Essas referências precisam reunir algumas caraterísticas mínimas desejadas, entre outras:

  • ser atualizadas com regularidade,
  • respeitar os padrões internacionais,
  • vir de uma fonte confiável,
  • informação estruturada para fácil acesso,
  • apresentar exemplos práticos,
  • de graça, preferentemente.

Duas referências online que eu acho interessantes são as da W3Schools e a Mozilla Developer Network (MDN). Continuar lendo “Sites de Consulta para Desenvolvedores Web”

Publicado em GNU/LInux, Tecnologia, Terminal

Linux: Comandos básicos no Terminal

Sistemas Operacionais modernos, a diferença dos primeiros a serem concebidos, contam com interfaces gráficas (GUI) intuitivas, atrativas e funcionais. No Linux, as opções abundam: Unity, Gnome, KDE, Xfce, Cinnamon, Mate, LXDE, OpenBox, e muitas, muitas mais. Elas variam não apenas esteticamente e na distribuição das barras, menus e ícones no escritório; mas também na configurabilidade e exigência de recursos gráficos do hardware. Mas, todo Sistema Operacional, seja antigo ou top de linha, conta com uma outra interface, em modo texto, fazendo uso das potencialidades da linha de comandos (CLI). Continuar lendo “Linux: Comandos básicos no Terminal”

Publicado em Ferramentas, GNU/LInux, Progamação, Tecnologia

Editores de código para Linux: Gedit

O editor de texto é uma ferramenta fundamental para o programador, o sysadmin, e até para “pessoas normais”. Ele tem tudo a ver com produtividade. No universo Linux existe, literalmente, um editor para cada estilo, preferência, linguagem e tipo de programador ou projeto. Aos poucos, pretendo ir apresentando as opções mais populares. Nessa primeira entrega, o Gedit:

Continuar lendo “Editores de código para Linux: Gedit”

Publicado em Progamação, Python, Tecnologia

Python: A Boa Constritora de Códigos

Linguagens de programação não é o que falta nesse mundo. As vezes até parece que tem tantas linguagens quanto programadores, lembrando um pouco aquela história bíblica de Babel. Programadores, ainda que nem sempre isso seja evidente, somos seres humanos. E seres humanos gostam diferenciar-se uns dos outros, tipo: corinthianos e palmeirenses; argentinos e brasileiros; os que vão a misa aos sábados ou aos domingos; adoradores da churrasqueira e veganos; etc. Nesse nosso mundinho tem briga acirrada entre os caras do C++ e o Java; entre os que indentam e os que não; os que compilam e os que interpretam; os que botam curly braces (chaves) logo depois do while ou na linha que segue; tem até a torcida organizada do Vim e a do Emac. Você acredita? Continuar lendo “Python: A Boa Constritora de Códigos”

Publicado em GNU/LInux, Tecnologia, Terminal

Terminal: Formatando o pendrive no Linux

Existem várias ferramentas gráficas no Linux para realizar uma tarefa do tipo (Gparted, gnome-disk-utility, etc), mas, aqui vamos explorar alguma alternativa rápida e simples na linha de comandos.

Para achar o pendrive no filesystem, digitamos no terminal:

$ lsblk

A saída do comando pode ser similar (mas não necessariamente igual) com essa aqui:

NAME   MAJ:MIN RM   SIZE RO TYPE MOUNTPOINT
sda      8:0    0 465,8G  0 disk 
├─sda1   8:1    0   200M  0 part /boot/efi
├─sda2   8:2    0     4G  0 part [SWAP]
├─sda4   8:4    0    35G  0 part /
└─sda6   8:6    0 406,6G  0 part /home
sdb      8:16   1  14,6G  0 disk 
└─sdb1   8:17   1  14,6G  0 part /media/alejandro/KINGSTON

Detectamos o pendrive pelo nome ou pelo tamanho (“KINGSTON”, “14.6G”). No exemplo, sdb1, e desmontamos (umount) ele para poder formatá-lo (substituindo sdb1 pelo identificador adequado):

$ umount /dev/sdb1

O comando mkfs (Make File System) cria um novo filesystem (uma estrutura jerárquica de arquivos) do tipo FAT (compatível com o Windows) na partição especificada (de novo, substituindo sdb1, se for o caso):

$ mkfs.vfat /dev/sdb1

E pronto!

Essa postagem faz parte da série: Linux para Lagartos.