Publicado em Arduino, Tecnologia

Visualino: Programação gráfica para Arduino

Eu tinha uns 11 ou 12 anos (os dinossauros já tinham sido extintos e Dom João VI já tinha voltado pra Lisboa) quando na minha Santa Fe natal chegou uma das primeiras IBM PC. Provavelmente era uma daquelas com inesgotáveis 16KB de memória, velosíssimo processador Intel 8088, incrível tela de 720 x 350 pixels modo texto, ultramoderna impressora matricial, e claro, sem HD, que era caríssimo. Tudo, sistema operacional (DOS), dados e aplicativos, precisavam ser armazenados em floppy disks (disquetes) de 5.25 polegadas. Quem havia comprado essa máquina superpoderosa pro seu escritório contábil era amigo do meu pai, mas ninguém sabia muito bem o que fazer com ela. Meu pai, autodidata de profissão, pegou o manual e ficou meses tentando fazer alguma coisa útil com ela. Não me lembro em que deu finalmente a aventura, mas o que lembro sim são pilhas enormes de folhas em formulário contínuo onde ele ia imprimindo o código para debugar depois com lápis e borracha.

Eu fiquei fascinado com tudo aquilo. Mas, computadores eram muito caros na época, Internet não existia e, por tanto, era praticamente impossível acessar informação fora de âmbitos acadêmicos muito restritos; mais ainda para uma criança. Aprendi alguma coisa de Basic, passou o tempo, e sem muito o que fazer, fui perdendo o interesse. 30 anos após isso, aqui estou eu, mais ou menos com a idade do meu pai naquele momento, também tentando aprender as mágicas de escrever código e botar o silício a trabalhar. Bem diferente poderia ter sido se ferramentas com a filosofia do Visualino e hardware aberto e barato como Arduino tivessem existido na época, junto à disponibilidade de informação de hoje em dia.

Visualino, Arduino e os bloquinhos

Visualino é um projeto Open Source, aparentemente construído em C++ e livrarias gráficas Qt (você pode curiosear a vontade o repositório no GitHub). Ele oferece uma IDE multiplataforma para projetos de programação com Arduino, com a vantagem de se programar em forma visual, arrastando blocos que representam as funções, declarações e instruções da linguagem e que vão se encaixando uns aos outros como num quebra-cabeças  (ao estilo do Scratch, um outro projeto Open Source do MIT). Conta com versões para Linux (Ubuntu), Mac, Windows e RaspberryPi.

Eu já tinha experimentado o S4A (Scratch for Arduino), um projeto que parece mais completo e maduro, baseado diretamente no Scratch, mas que eu não consegui fazer rodar no meu computador naquele momento. O Visualino, pelo contrario,  instalou e rodou fácil e rapidamente (o download do .deb pesou apenas 948 KB). Suas configurações se reduzem a indicar o path do executável na pasta do Arduino.

Funcionamento

A interface é simples, agradável e leve. Detectou automaticamente o Arduino UNO e a porta de comunicação serial. A medida que vão se acomodando os blocos, iterativamente vai gerando o código nativo para fazer o upload na placa. Quem já usou o Arduino IDE, vai captar no primeiro olhar como funciona o Visualino. Ele conta com suporte a Monitor Serial e Plotter. O site oficial lembra que precisa se ter instalada a versão 1.6 ou superior do Arduino IDE (atualmente 1.7).

Tem filhos, sobrinhos ou “vizinhozinhos” curiosos? Pode comprar uma plaquinha Arduino, uns fios e alguns leds? Instale o Visualino e dê a eles a possibilidade de se apaixonar pelo fascinante mundo da robótica, a automação e a programação. Eles não precisam virar profissionais de TI. Ainda assim, o ganho em diversão e aprendizado será enorme.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.